terça-feira, 4 de agosto de 2009

Fragmentos de férias

Colo de pai e mãe
amigos queridos
meu violão que desafina acordes
fim de férias
saudades imensas.

O amor que não veio, o belo horizonte que fica.
Fica a vontade
fica o vazio.
Ficam as culpas, os enganos.
Me acompanham os sonhos, os planos, as minhas insanidades.
Me desfaço dos medos e do que não me serve mais
Me alimento e me embriago de lindas palavras.

Prometo não mais querer o improvável
(embora deixar de amá-lo seja quase impossível).
Escrevo cartas e poemas inacabados
Acredito em amores que inventei.

Vejo as (minhas) montanhas,vejo o belo e seus horizontes,
o pôr-do-sol,
os músicos, a música.

Amo, sorrio
sonho sinto, acredito.
Permaneço louca, indecifrável e linda
Permaneço doce
Permaneço intensa.

4 comentários:

Felipe Braga disse...

Belas palavras, como sempre.
"Prometo não mais querer o improvável
(embora deixar de amá-lo seja quase impossível)." Lindo!
Parabéns.

Ingrid disse...

"Permaneço louca, indecifrável e linda
Permaneço doce
Permaneço intensa."

Adooorei!!
Lindo!

beijo
p.s:Obrigada pelo selo =)

Jaya disse...

Fragmentos que me fizeram tão bem ao ponto de quase te enxergar, moça.

Que delícia! Que delícia!

(:

Toma um beijo, procê.

[E obrigada pela visita linda].

Bill Falcão disse...

Dá pra sentir sua saudade das montanhas daqui de Minas!
Bjoooooo!!!!!!!!