quinta-feira, 19 de maio de 2011

Gentileza gera gentileza?



Por favor, bota um ponto de interrogação no fim da frase aí moço?


Se tem uma dentre muitas coisas que eu realmente não suporto é grosseria. Sabe aquilo que as nossas mães nos ensinam desde cedo? Obrigado, por favor, com licença, não desrespeite os mais velhos, trate bem o seu coleguinha... Educação e respeito pelo próximo são coisas indispensáveis e que fazem toda a diferença no convívio diário com qualquer pessoa. Não estou dizendo que eu sou uma lady cem por cento do tempo. Tenho lá meus dias de ogra onde qualquer olharzinho torto é motivo pra eu rodar a baiana. Aliás, todo mundo tem um dia assim, de vez em quando. Tá, é chato mas é compreensível. Mas é impossível conviver com gente que é assim o tempo inteiro. Começa a dar nos nervos e quando você se dá conta, vê que está ficando igul ao ogro-mor, na tentativa de responder suas grosserias à altura. E gente, se tem uma coisa que eu não sou é mal-educada, muito pelo contrário.
Sem querer parecer perfeita ou vir com aquele papo ultrapassado, mas educação, respeito, cordialidade e gentileza pra mim são fundamentais. Com minha família, meus amigos. Com os porteiros do prédio, com o Zé da esquina. Até com aquela moça que enche o saco todo dia pra me entregar o panfleto na Siqueira Campos. Pra mim gentileza é uma questão de humanidade.

Acho que gente mal-educada precisa é de limite. Gente mal-educada é egoísta, se acha no direito de destratar o mundo inteiro e geralmente dá showzinho quando alguma coisa não dá certo, quando contrariam a sua vontade e afins. E isso dá no saco, né? Eu ignoro esse tipo de gente para não me rebaixar. Além disso, com essa atitude o ogro terá dois trabalhos: subir e descer das tamancas. Ou tá achando que chantagenzinha emocional e desrespeito funcionam comigo? Não mesmo. E digo mais, chega uma hora que nem a pessoa mais boazinha do mundo aguenta tanta falta de sensibilidade com superioridade e solta os cachorros. Eu mesma sou assim.

Se gentileza gera gentileza, os mais estouradinhos dirão que grosseria gera grosseria. Não deveria, mas é bem por aí mesmo. O ideal seria retribuir cada ato desrespeitoso com um ato de bondade. Funciona, até que a nossa reserva de Madre Tereza de Calcutá se esgota e nos cansamos de tomar na cara. Já disse aqui, não tenho vocação pra Jesus Cristo. Acho que ninguém tem. Sem contar a grande sabedoria popular: "Não faça com os outros o que você não gostaria que fizessem com você". Pois é por isso que tem muita gente que merece uma boa patada pra ver se cresce um pouco. Tem muita gente que merece uma bela grosseria pra aprender a importância de saber respeitar o outro, lidar com as diferenças e perceber que não está acima de ninguém.

Vocês mirem e vejam, em pelo século 21 aqui estou eu tentando reeducar um bando de marmanjos e marmanjas que não sabem conviver com os outros. E acrescento, tentando me reeducar também. Portanto, além de aprendermos a sermos bonitos, polidos e educados, precisamos aprender também quando é necessário sermos duros, pouco educados e colocar quem merece no seu devido lugar. Afinal, ninguém é obrigado a suportar grosseria gratuita nem aguentar gente que não preze pela boa convivência e pelo respeito mútuo.

(Aprenda a ser gente de verdade e tratar bem o próximo, ou faça o favor de pendurar no pescoço uma plaquinha de "CÃO ANTISSOCIAL". Facilita.)


2 comentários:

Tatiana Camilo disse...

Luh... você me entende! rsrs
Traduziu muita coisa dentro de mim nesse texto. Amei!

BeijOOs

Tempestade disse...

Quanta falta de educação vemos por aí não é? É revoltante mesmo.
A educação vem de berço e tem muitos pais que "não tem tempo pra isso", e aí crescem adultos mal educados.

Ótimo FDS pra Vc.

bjokas!

Nina

te sigo no diHITT e aqui no blog. =D