domingo, 30 de janeiro de 2011

Adeus, até breve.

"É sempre amor,
mesmo que mude."
Bidê ou Balde


Mudou.
Houve um tempo em que eu te amei demais. O desmedido, sabe? Noites em claro, coração aos pulos, palavras, versos, textos e pomas inteiros escritos pra você. Povoavas meus mais ternos sonhos e quereres, tuas palavras se apossavam de mim como fogo. O platônico, sabe? Um motivo bobo pra sorrir à toa, pra chorar à toa, escrever à toa, ser feliz à toa.

Mas eu mudei.
Você mudou.

E eu vi tanta coisa, senti tanta coisa, vivi tanta coisa, ah, só Deus sabe o quanto eu vivi. O quanto eu aprendi. Acordei com aquele velho gosto amargo na boca por muitas vezes. O tempo passou, o gosto amargo foi escasso. Amei mais de mil vezes em menos de mil dias. Estive em muitos sambas, em várias varandas e em alguns olhos. E você não era mais. E mais do que nunca eu percebi que não estou disposta a amar sozinha por tanto tempo. Foi boa aquela sensação, aquele calor me invadindo todos os dias, mas, sabe, eu preciso de mais. Amor pra mim tem que ter toque, gosto, coberta, cheiro, língua. Calor pra mim é pouco. Amor tem que ter mais do que essas tuas palavras lindas. Amor tem que ter atitude. Aliás, amor é atitude. Amor é aquilo que preenche, queima, arde. Amor é aquilo que te faz querer acordar junto e sorrir junto e viver junto e morrer junto todos os dias. Depois de você, eu não sei mais amar quando falta tanto. Você me fodeu. (Ou não, vai saber). Você fez eu não me contentar mais com tão pouco. Você me fez ver que eu mereço mais do que um simples "eu te amo" ocasional. Porque amor, meu bem, não é ocasional. Amor é inteiro, indivisível, onipresente. Um pedaço de amor, apenas, não satisfaz mais o meu coração.
Por isso, acho que hoje estou pronta pra me exorcizar. E dizer, com todas as letras (ou quase todas) que acabou. Você ainda vai estar em mim, mas com certeza não será como antes.
Adeus, amor. Ou melhor, até breve.



"Cuide bem do amor, então
se ouvir meu coração."

Mariano Marovatto

7 comentários:

Anônimo disse...

que lindo amiga!! tenho q conhecer essas musicas novas!!! fe

Tatiana Camilo disse...

Lindo. Lindo, lindo! Aquele trechinho do bidê ou balde no começo do texto acho que traduz muito... E concordo plenamente: amor não é ocasional!

Breno Massena disse...

Sensacional.

Sério.
Matou a pau
" Amei mais de mil vezes em menos de mil dias. "

Meu orgulho. Mas vem cá, tava apaixonada mesmo ein ?

HAHAHAHAH

bju bju bju do carioca tarado.

Ítalo do Valle disse...

Fiquei lisonjeado com sua visita! Muito obrigado!
Sempre que passo por aqui eu penso que eu quero essa coragem, essa transparência, esse sentir desmedido, puro...

te admiro!

Um grande abraço!

Sandrio cândido. disse...

O adeus as vezes é tão triste.

Paula Figueiredo disse...

Como a gente faz quando eh invadida por uma paixao assim? Ama... manda amor e luz toda vez que pensar nele, e esquece. Assim como em "Comer, rezar, amar". Vc leu?
BEIJOS!

E vamos confiar na vida! :)

Alessandra disse...

"Você fez eu não me contentar mais com tão pouco. Você me fez ver que eu mereço mais do que um simples "eu te amo" ocasional. Porque amor, meu bem, não é ocasional. "

amei, amei, amei demais esse texto lindo! e essa parte então...

beijos