domingo, 6 de dezembro de 2009

Se recolha à sua mediocridade.
Você que toma para si versos que não são seus, você que rouba uma vida que não lhe pertence.
Você que se sente no direito de usar os outros pra esconder suas próprias frustrações. Você que não sabe lidar com a vida e nem com o fato da sua vida não ser completa.
Você que ignora a simplicidade, você que finge uma alegria que não lhe cabe.

Não sinto ódio, nem raiva ou rancor. Bem eu já disse que em mim não há espaço para tal.
Mas sinto pena de ver que esse seu sorriso poderia ser mais sincero e menos interesseiro.
Aprenda uma coisa:
A vida não é sempre como queremos. Mas podemos fazer com que ela chegue o mais próximo disso possível, se quisermos.

Agora, vista sua carapuça e SE PERMITA.

(Eu espero que você descubra como ser melhor. E te aceito de volta, sem ressentimentos.)

5 comentários:

Priscila Rôde disse...

Um mundo inteiro precisa ler esse texto Lud.. :O

Fernanda disse...

muuita gente precisa ler teu texto!!!

Jaya disse...

Eu não acho que ninguém tenha que ler esse texto. Hoooooooohoho!

Falando sério, eu acho mesmo é que foi direcionado [outra vez]. E se a pessoa leu, foi bom. Se não leu, foi bom também, porque importa é que você tirou de dentro de você. Conseguiu fazer sair. E isso deve ter te feito leve.

Teu coração é lindo, Lud. Tão lindo que até dando esporro tu é fofa!

Um beiiiijo.

Jaya disse...

2010, que seja azul.
Tá?

Beijo, beijo.

Kaio Rafael, disse...

Essas palavras deveriam ser ditas mais vezes sem serem encaradas como uma ofensa...

(: