sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Pra não dizer que não falei da realidade

"Perceba que não tem como saber
São só os seus palpites na sua mão
Sou mais do que o seu olho pode ver
Então não desonre o meu nome."
Pitty

Talvez eu não consiga entender essa minhas palavras. É vida demais, realidade dura, leve, solta. MINHA realidade.
Ultimamente tenho tido preguiça de escrever. É porque às vezes a gente percebe que a vida não é só poesia bonita e eu, sinceramente, prefiro não jogar os meus problemas feios por aí. Outra dia me disseram que isso era fuga. Talvez sim, talvez não, isso eu não sei. Mas é fácil julgar sem saber. É muito fácil transformar a vida dos outros num filme trash onde as pessoas se pintam de preto e vivem num submundo, i(mundo). Não, a MINHA vida não é assim, não mesmo. A MINHA vida é pura cor, música, prosa, poesia. Dor. Arte. E você, quem quer que seja, não tem o direito de palpitar, não senhor. Aqui não há espaço para palpites, hesitações ou algo do gênero; o MEU viver é pra agora, sem do que me arrepender.

Eu realmente queria saber se o seu coração carrega tanto sentir quanto o MEU. Sabe a alma, aquela coisinha que a gente carrega lá dentro? Eu queria muito ver a sua. Saber se ela ousa perceber mais que o nosso mundo. Saber se você é alma. Amor. Não me interesso pela sua vida, mas me interesso pelas suas frustrações e pelas suas justificativas imundas pra tentar me desviar do MEU caminho. Aceite, pois, a MINHA acidez e a MINHA pena. Aceite o que há de mais podre e vil em mim, na tentativa de entender você. Provavelmente eu não conseguirei, porque em mim não há espaço para tanto rancor e medo da vida, não senhor. Aliás, vontade de viver é o que não me falta. Coração, amor e alma também não me faltam; também não me sobram pois deles eu preciso cada vez mais. Quanto mais vida couber no MEU coração, no MEU amor e na MINHA alma, melhor pra mim. E melhor ainda pra quem estiver comigo.

6 comentários:

Priscila disse...

As cores da vida estão em nossas mãos. Enquanto alguns picelam as mais belas cores e concluem os mais belos quadros, outros, deixam a tinta escorrer entre os dedos permanecendo a alma tão crua, tão dor, tão sem cor. É dificil sentir a alma do outro, algumas se escondem no meio de tantas outras.

...

"..não há espaço para tanto rancor e medo da vida.."

Quanto mais apertado, melhor! rs


Adorei! ;)

Felipe Braga disse...

Minha maior fuga se dá quando escrevo.

Acredito, também, que a própria realidade é pesuasiva.

"Quanto mais vida couber no MEU coração, no MEU amor e na MINHA alma, melhor pra mim. E melhor ainda pra quem estiver comigo."

Verdade, adorei.
Beijos.

Ingrid disse...

"Eu realmente queria saber se o seu coração carrega tanto sentir quanto o MEU. "

E quem não quer?!

Belo texto...e pintemos a vida de forma que a torne o melhor quadro!

:*

Jaya disse...

Esse foi direcionado. Me sinto atrevida, ao palpitar.

Digo que é bom se rasgar assim. Faz a gente leve.

Vai voar, Lud.

Jester disse...

Uma vez eu sonhei com uma vida toda certinha. Acordei me perguntando que graça ela teria.

Jaya disse...

O amor tá solto, Lud. Tá solto!