segunda-feira, 4 de maio de 2009

Interação

Engraçado como nós interagimos com as pessoas. Como existem pessoas que nós podemos amar enquanto outros odeiam, da mesma forma que podemos odiar pessoas que são amadas por outras. E da mesma forma que podemos ser amados ou odiados por uns e outros.
Engraçado também como podemos nos sujeitar à convivência com certos indivíduos por puro interesse, por pura conveniência. Isso me lembra uma grande amiga que dizia que “a vida é um fingimento”. Eu me recusava a concordar (e ainda me recuso!), mas confesso que estou começando a analisar a sutileza dessa filosofia. Como podemos ser tão mesquinhos, tão vis? E sim, eu me incluo nessa situação. Atire a primeira pedra quem nunca suportou um colega de classe, massageou o ego de um chefe, um parente, um amigo do amigo só porque essa pessoa te traria alguma vantagem, ou ao contrário, traria alguma desvantagem no caso haver antipatia. Inevitável não me lembrar de Cazuza: “Pra que usar de tanta educação pra destilar terceiras intenções?”. Quanto ensinamento e quanta verdade em 10 palavras! Quanto egocentrismo o nosso, meu Deus! Consegui me indignar comigo mesma ao lembrar de situações em que eu contrariei o meu coração em prol de um benefício próprio. E acabo de mais uma vez afirmar um dos meus princípios: Quem somos nós para julgar uns aos outros? 
Engraçado também como ao mesmo tempo eu me lembro daqueles que fazem a diferença, que são fiéis, que são presentes apesar da distância, que são amor, carinho, luz, conforto, coração. Engraçado como podemos cativar e ser cativados instantaneamente, como existem pessoas que nos marcam pra sempre, mesmo que tenham passado apenas por um breve momento em nossas vidas, mas que nos deixaram lembranças importantíssimas.
Acho que uma das maravilhas da vida é poder despertar tantos sentimentos diferentes em momentos, pessoas, situações diferentes. Fantástico como as coisas se encaixam, se conectam e acontecem na hora certa, e deixam marcas inapagáveis na nossa alma. Até mesmo quando a vida dói e nos mostra o que nos incomoda (e nos dá rasteiras que a gente nem imagina). Alma. Almas, que não se encontram por acaso e tanto nos fazem aprender. Mas o que eu acho mais fantástico e maravilhoso ainda quando cada vez mais tenho a certeza de que temos muito a aprender. 

"Eu permito a todos ser como quiserem e a mim como devo ser." 
 Chico Xavier


Um comentário:

Flávia disse...

Nossa Lud,adorei esse post,
um dos melhores até agora!
beijos querida!
amo vc!